Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Agenda

Publicado: Segunda, 20 de Fevereiro de 2017, 12h15 | Acessos: 24902

PROGRAMAÇÃO DE JANEIRO

Em janeiro não haverá oficinas e atrações no Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). As atividades estão em planejamento e serão elaboradas para atender ao público a partir do dia 3 de fevereiro de 2018. Entretanto, o MAST está aberto para os visitantes conhecerem a fantástica exposição 3D: Imprimindo o Futuro, que possui mais de 100 peças em exibição, e revelam como a nova tecnologia inspira o futuro do design e de diversos outros setores, como a medicina e a indústria. É uma oportunidade para ver de perto essa espetacular tecnologia de impressão tridimensional.

Também é possível visitar as exposições do museu:

Visões da Luz

Mostra interativa que trabalha várias temáticas relacionadas à luz através de painéis com textos, fotografias e esquemas, instrumentos científicos do acervo do Museu, maquetes, objetos, registros fotográficos de determinados momentos históricos da Astronomia e alguns aparatos interativos.

As Estações do Ano: Terra em Movimento

Exposição com foco na astronomia básica abordando temas como os ciclos das estações do ano, dos dias e das noites e das fases da Lua. Tais temas serão abordados por meio diversos aparatos interativos 3D, multimídias, vídeos e painéis e conta com uma cenografia de céu. A exposição toma como referência trabalhos na área de modelos mentais e concepções prévias na área de astronomia.

Espaço Acelerador de Partículas

A mostra traz um conjunto de objetos que são partes de um acelerador de partículas remanescente do Laboratório de Aceleradores Lineares do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF, doado ao MAST em 2009. Estes objetos documentam as atividades do CBPF em projetos, construção e operação de aceleradores lineares entre as décadas de 1960 e 1990, sob a coordenação do Engenheiro Argus Fagundes Ouriques Moreira.

Olhar o Céu, Medir a Terra

Na mostra, estão expostas peças originais do século XIX que pertenceram ao Imperial Observatório, hoje Observatório Nacional (ON). Além de réplicas de instrumentos dos séculos XVI e XVII, documentos, mapas, vídeos e fotografias de diferentes períodos da história da ciência no Brasil. Instrumentos que permitiam medir as alturas dos astros como os astrolábios, quadrantes, balestilhas e a bússola; e eram utilizados para confeccionar cartas náuticas como compassos e réguas.

Um Olhar nos Espaços de Dimensão 3D

Fruto de uma parceria entre o MAST e o IMPA. Apresentada em algumas instituições na França, entre elas a Universidade de Paris, a mostra revela a beleza contida em alguns conceitos revolucionários da matemática, especialmente no campo da geometrização. Para isso, combina arte e interatividade em instalações que proporcionam ao público a sensação de estar imerso em ambientes tridimensionais. As noções são descritas sem fórmulas e com o mínimo de textos.

Restauração do Pavilhão do Círculo Meridiano Gautier

A exposição apresenta o processo de revitalização do pavilhão e de restauração do círculo meridiano de Gautier. O projeto foi desenvolvido entre os anos de 2003 e 2005, através de uma parceria entre o MAST e a Fundação VITAE. Duas atividades foram fundamentais para embasar o processo de restauração: a pesquisa histórica realizada junto ao Arquivo Nacional e aos arquivos da Coordenação de Informação e Documentação do MAST (fundo Observatório Nacional) e o levantamento das peças e partes dispersas existentes no acervo do MAST.

Observações do Recife Holandês

É o resultado de um trabalho entre as várias áreas de atuação da instituição e está em sintonia com o objetivo de levar ao público exposições com conteúdo científico. Apresenta parte dos trabalhos de Jorge Marcgrave, jovem sábio que viveu na América entre 1638 e 1644. No Recife, ele realizou observações sobre o clima, as terras, as plantas, os animais, as gentes e o céu do Hemisfério Sul, ainda pouco conhecido entre os astrônomos europeus.

Exposição Faz Tempo

A partir de uma pesquisa que identificou o alto nível de relevância atribuído à noção de tempo, a exposição foi elaborada considerando os diversos aspectos destacados pelos visitantes espontâneos do MAST sobre suas percepções acerca dessa noção. A exposição instalada em dois pavilhões do MAST, Meridiana Gautier e Luneta 21, sublinham o tempo natural e social e, aborda a medida do tempo em diferentes bases e questões relativas às escalas de tempo astronômica e geológica.

Círculos de Observação do Sol e do Céu

Espaço onde os visitantes podem analisar o sol de forma segura, através de filtros, projetores e telescópios especiais que permitem a visualização de estruturas como manchas solares, protuberâncias e filamentos. No final da tarde, acontece a Observação do Céu, que por meio de uma luneta construída no início do século XX, é possível observar planetas, estrelas e fenômenos estudados pela astronomia.

Espaço Espectroscopia

A exposição mostra um pouco da técnica que revolucionou a astronomia: a espectroscopia.  Localizada no Pavilhão da Luneta Equatorial 32cm, a mostra reúne instrumentos do acervo do MAST que testemunharam a saga do homem na busca da compreensão do universo.

Fim do conteúdo da página