Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Ciência e Arte nas coleções da loucura

Palestra vai abordar como os processos de patrimonialização e musealização geram zonas de sombras e esquecimentos, analisando coleções de obras plásticas produzidas por indivíduos à margem do campo formal da arte

  • Publicado: Segunda, 09 de Outubro de 2017, 11h27
  • Acessos: 597

Ao longo do século XX, médicos e artistas protagonizaram uma disputa na atribuição de sentidos com o surgimento de obras plásticas criadas por pacientes portadores de estigmas. Isso levantou várias questões nos campos da Arte e da Ciência, e resultou na criação de coleções e museus para abrigá-las. Para contar mais sobre isso, o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) convida para Palestra: "Narrativas silenciadas: sombras e esquecimentos nas coleções da loucura", de Eurípedes Junior, doutor em Museologia e Patrimônio pelo PPG-PMUS da UNIRIO/MAST e museólogo do Museu Nacional de Belas Artes.

 

Neste encontro, que acontece dia 17 de outubro, será abordado como os processos de patrimonialização e musealização geram zonas de sombras e esquecimentos. Eurípedes Junior vai analisar coleções de obras plásticas produzidas por indivíduos à margem do campo formal da arte (loucos, ermitões, refratários sociais, povos indígenas e etc), analisando os discursos expositivos e como as apropriações feitas dessas obras por diferentes campos podem ajudar a identificar essas áreas.

 

 

A palestra faz parte do Programa de Pós Graduação em Museologia e Patrimônio (PPG-PMUS) e vai ser mediada por Priscila Faulhaber (MAST) e coordenada por Helena Uzeda (UNIRIO). O evento terá transmissão ao vivo.

 

Palestra: "Narrativas silenciadas: sombras e esquecimentos nas coleções da loucura"

17 de outubro | 9h30
Local: Auditório do prédio anexo
Palestrante: Eurípedes Junior
Transmissão ao vivo

 

Eurípedes Júnior

Doutor em Museologia e Patrimônio pelo PPG-PMUS da UNIRIO/MAST e museólogo do Museu Nacional de Belas Artes - IBRAM/MinC desde 2010, onde é responsável pela Seção de Esculturas. Trabalhou no Museu de Imagens do Inconsciente durante 30 anos. Foi membro do Conselho Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, representando a área de Museus e Patrimônio, no período de 2012 a 2016 e como músico, atua como diretor musical, compositor, arranjador e maestro.

registrado em:
Fim do conteúdo da página