Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Exposição exibe objeto de mapeamento 3D do Universo

Mostra pelos 190 anos do Observatório Nacional apresenta objeto utilizado no Sloan Digital Sky Survey, projeto internacional que fornece à comunidade científica mundial o mapa tridimensional mais detalhado já obtido do Universo

  • Publicado: Quarta, 22 de Novembro de 2017, 13h46
  • Acessos: 1175

A exposição Observatório Nacional – 190 anos: uma viagem no tempo e no espaço. apresenta, pela primeira vez no Brasil, um emblemático objeto utilizado no projeto Sloan Digital Sky Survey (SDSS). O SDSS é uma colaboração internacional, com participação do Observatório Nacional, que vem fornecendo para a comunidade científica imagens profundas e espectros de galáxias em cerca de um terço do céu, dados que hoje constituem o mapeamento tridimensional mais completo do Universo.

O principal telescópio do SDSS está localizado no Novo México (EUA) e possui espelho primário de 2.5m de diâmetro, sendo considerado o telescópio cientificamente mais produtivo de toda a história da Astronomia. A placa de alumínio que está exposta no Museu Histórico Nacional foi utilizada para a obtenção de espectros de mil galáxias em uma única observação, em uma técnica chamada de espectroscopia multi-objeto.

Em cada um dos cerca de mil orifícios da placa, usinados com alta precisão mecânica, um cabo de fibra óptica é conectado manualmente, de modo que a luz proveniente de cada galáxia de interesse seja direcionada para alimentar um espectrógrafo. Por sua vez, o espectrógrafo decompõe a luz incidente, produzindo dados que permitem, por exemplo, determinar a abundância de elementos químicos, a taxa de formação estelar e a distância da galáxia em questão.

Na mostra, a placa exposta será a de número 5791, utilizada no Baryon Oscillation Spectroscopic Survey (BOSS), um subprojeto do SDSS, que corresponde ao campo delimitado pelo círculo na imagem abaixo:

 

O BOSS tem como principal objetivo levantar características da chamada energia escura, que constitui cerca de 68% do Universo e é responsável pela aceleração da sua expansão. Também a partir do número da placa, é possível ver as observações de cada galáxia no campo. Clique AQUI e veja os resultados.

A exposição acontece de 23 de novembro de 2017 à 25 de fevereiro de 2018, no Museu Histórico Nacional, e faz parte das comemorações pelos 190 anos do Observatório Nacional (ON). A instituição é associada ao SDSS, colaborando com a análise científica dos dados obtidos no projeto e na sua distribuição para a comunidade científica internacional. Após o término da mostra, a placa 5791 do SDSS passará pelo necessário processo de avaliação para fazer parte do acervo permanente do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST).

registrado em:
Fim do conteúdo da página