Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Muito além do seu mundinho: um olhar espacial
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Idioma que aproxima, ciência que fascina

Projeto contribui para que os países de língua oficial portuguesa tenham voz ativa e participação eficaz no campo da Astronomia e das Ciências do Espaço

  • Publicado: Terça, 26 de Junho de 2018, 15h49
  • Última atualização em Terça, 10 de Julho de 2018, 08h12

A República de Cabo Verde, na África, foi palco de diversas atividades culturais e educativas relacionadas à astronomia entre os dias 26 de maio e 10 de junho. Palestras, cursos de capacitação de professores e observações públicas do sol e do céu foram algumas das práticas realizadas para aproximar a população local da ciência que estuda os corpos celestes.

O evento é fruto do projeto Portuguese Language Office of Astronomy for Development (PLOAD), da União Astronômica Internacional (UAI). Esta foi a 3ª edição do programa criado para que os países de língua oficial portuguesa tenham voz ativa e participação eficaz no campo da Astronomia e das Ciências do Espaço, tendo acesso a meios científicos e tecnológicos de ponta. Brasil, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Timor Leste fazem parte do convênio, no qual são previstas uma série de ações nas agendas desses países.

O Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) firmou acordo de cooperação internacional com o Núcleo Interativo de Astronomia (NUCLIO), em 2015. A instituição portuguesa atua como entidade coordenadora geral do PLOAD. Desde então, o museu contribui efetivamente com a divulgação científica em todas as edições do projeto, exercendo papel importante para que a população dos países sedes adquiram conhecimento sobre ciência e compreenda o quanto ela está presente em seu entorno.

Dentre as ações de popularização da astronomia que aconteceram em Cabo Verde, esteve o projeto Starry Nights (Noites Estreladas), em alusão à pintura de Vincent Van Gogh. Formação continuada de professores, oficinas com alunos, observações solares e noturnas foram as atividades desenvolvidas em 4 ilhas do país: Santiago, Fogo, Maio e Santo Antão. O evento contemplou 350 professores, 500 alunos e 200 pessoas de público leigo.

Patrícia Spinelli, astrofísica e pesquisadora do MAST, é uma das coordenadoras brasileiras do PLOAD e vice-coordenadora do projeto Starry Nights.  Ela participou ativamente na formação de professores cabo-verdianos e comentou sobre a experiência vivida em solo africano: "Foi muito gratificante perceber que o governo de Cabo Verde pensa nos objetivos de desenvolvimento do milênio, propostos pelas Nações Unidas. Eles têm o objetivo de promover ciência, reduzir a desigualdade entre as ilhas e propiciar uma educação de maior qualidade, inclusive na questão da inclusão digital. Todos os professores de lá receberam um tablet e isso facilitou a dinâmica das oficinas que foram propostas. Fiquei muito surpreendida positivamente", declarou.


Patrícia Spinelli é uma das coordenadoras brasileiras do PLOAD

A pesquisadora também revelou um momento especial enquanto esteve na Ilha do Fogo. Lá, encontrou um pequeno vulcão ativo e resolveu chegar até a cratera para fazer um registro. Do interior, Patrícia conseguiu tirar uma fotografia onde Vênus e Júpiter estavam visíveis. Devido a grande altitude do local, enxergou um céu super estrelado, acima das nuvens. Uma visão verdadeiramente incrível, segundo ela.


Vênus observado de dentro da cratera do vulcão, na Ilha do Fogo

Nos dias 08, 09 e 10 de junho, o compromisso foi com a reunião anual do PLOAD. Durante os encontros ficou decidido que a próxima edição do evento acontecerá em São Tomé e Príncipe. A escolha foi por conta da comemoração pelo centenário da comprovação da teoria da relatividade geral, proposta pelo físico teórico alemão Albert Einstein. A exemplo de Sobral, município do estado do Ceará, a Ilha de Príncipe, na África, e Lisboa, em Portugal, também foram protagonistas no que diz respeito às expedições científicas, realizadas pelos ingleses em 1919. O projeto idealizado para as atividades festivas foi intitulado Eddington na Sundy.

O encontro também definiu que o MAST, o Museu da Ciência (Coimbra – Portugal) e o Museu Espaço Temático (São Tomé e Príncipe) irão realizar exposições comemorativas sobre o tema. Existe ainda a possibilidade do Museu do Eclipse, em Sobral, promover a sua mostra. A ideia é disponibilizar aparatos aos visitantes destas instituições para que eles possam interagir entre as exposições e produzirem vídeos que fiquem registrados nas redes projeto.


MAST irá promover exposição comemorativa

As ações de divulgação científica também contemplaram algumas escolas públicas, que foram visitadas por equipes ao longo do evento. E foi justamente ao lado das crianças que Patrícia Spinelli viveu o momento mais emocionante da sua viagem: “Desde 2015, eu oriento a distância uma professora de Cabo Verde, chamada Dulcelena Semedo. Quando seus alunos souberam que eu estava no país, pediram para me ver porque queriam conhecer a professora da professora. Eu consegui visitar a escola e as crianças fizeram a maior festa. Cantaram música de astronomia, me apresentaram os planetas e me deram até presentes. E foi também ali que eu pude me despedir da minha aluna. Um dia realmente muito especial e prazeroso”, revelou.

Foram várias atividades desenvolvidas pela equipe internacional de professores e pesquisadores oriundos dos países da comunidade de língua portuguesa, que estiveram em Cabo Verde. O MAST colaborou com doações de livros, planisférios, cartas e filtros de sol. Também foram entregues um telescópio solar e um dobsoniano para observação do céu noturno. Assim, os professores capacitados podem repassar os conhecimentos adquiridos em prol da população e demonstrar que para conhecer o universo, não é necessário tirar os pés do chão.

registrado em:
Fim do conteúdo da página