Busca


  Projeto

A fronteira na história da antropologia
Coordenadora: Priscila Faulhaber Barbosa


Resumo

No presente projeto, pretende-se voltar a atenção à temática dos “objetos fronteiriços” em história da antropologia e história da ciência, a partir do exame de fundos documentais do arquivo do Conselho de Fiscalização das Expedições Artísticas e Científicas no Brasil, depositado no Museu de Astronomia e Ciências Afins. Tal exame conduz a indagações sobre aspectos da delimitação do campo da Antropologia Social no Brasil. Trata-se de analisar o problema em sua singularidade histórico- antropológica no exame de “objetos fronteiriços” na história da antropologia como o “contato interétnico” e a produção da etnografia indígena.

Volta-se a atenção, em termos específicos, à antropologia de objetos tangíveis coletados por Curt Nimuendajú e depositados em instituições centenárias como o Museu Goeldi e o Museu Nacional. Entende-se aqui que tais “objetos fronteiriços” recebem interpretações diferentes de acordo com os referenciais teóricos e metodológicos de quem lida com eles, tendo também significados distintos em diferentes mundos sociais, ainda que interconectados, considerando aqui as intersecções entre o mundo acadêmico e o mundo dos índios Ticuna. A identificação de tais objetos é estabelecida mediante diferentes modos de classificação que se intersectam em campos de forças. A definição de critérios de classificação sempre irá envolver escolhas, uma vez que toda taxionomia implica um pressuposto teórico implícito.

O presente trabalho visa ainda a contribuir para a discussão sobre a antropologia do clima a partir do exame das interpretações Ticuna sobre imagens de determinados corpos celestes, o que implica uma atualização da monografia de Curt Nimuendajú sobre estes índios. A reconstituição do céu durante viagens de Nimuendajú permite correlacionar as figuras presentes na iconografia e nos relatos míticos com determinadas áreas celeste. A antropologia do clima inclui a comparação entre registros do passado e registros atuais, considerando as narrativas e discursos sobre o impacto das mudanças climáticas globais sobre as estratégias de subsistência dos índios e outras populações da Amazônia hoje.


Equipe

Priscila Faulhaber Barbosa (coordenadora); Fernanda Tibau (bolsista PCI - MCTI/ MAST); Roberta Dittz (bolsista PIBIC - CNPq/MAST); Isabella Khaled Poppe (bolsista PIBIC - CNPq/MAST)


Financiamento

CNPq - Programa de Produtividade em Pesquisa; CNPq/CAPES - Auxílio à Pesquisa; FAPERJ.


Site

Revista de Antropologia
v. 56, nº 1, 2013

Outras publicações
Local Knowledge, Global Stage
Los científicos y su quehacer

  Menu

Linhas pesquisa

Ciência, tecnologia e sociedade
Ciência, tecnologia e contextos culturais

Projetos de pesquisa

A conquista do mundo natural e a
colonização da América ( XVI - XVIII)
A expansão da Estrada de Ferro D. Pedro II
e as associações técnico-científicas
A fronteira na história da antropologia
As representações astronômicas na arte
rupestre brasileira
Cosmo, tempo e representação: elementos
de astronomia Guarani Mbyá
Discurso, políticas e itinerários simbólicos
do patrimônio cultural
Divulgação da ciência nas revistas científico-
literárias brasileiras do século XIX
Expedições astronômicas no Brasil
(1850-1950)
Exposições científicas e sociedade: o caso
da Exposição Internacional de Higiene de 1909
História comparada da ciência: Brasil e Peru
História da antropologia no arquivo
iconográfico Luiz de Castro Faria
Irradiando política, acirrando conflitos
Memória e história da Sociedade Brasileira
de História da Ciência e Tecnologia - SBHC
O Laboratório Nacional de Astrofísica:
história em construção
Recursos naturais entre a prática científica
e os saberes tradicionais
Sob chuvas e trovoadas: história da
meteorologia no Brasil
Território, ciência e nação (1870-1930)

Grupos de Pesquisa

Equipe

Pesquisadores
Colaboradores

Contato

Coordenadora: Heloisa Meireles Gesteira
Contato: Cíntia Machado
Telefone: 55 21 3514-5245
Fax: 55 21 3514-5247
E-mail: chc@mast.br