Ir direto para menu de acessibilidade.
Museologia > Projetos de pesquisa > Patrimônio Cultural de Ciência e Tecnologia e Museus Universitários: pesquisa, análise e caracterização de relações estratégicas
Início do conteúdo da página

Patrimônio Cultural de Ciência e Tecnologia e Museus Universitários: pesquisa, análise e caracterização de relações estratégicas

Criado: Quinta, 31 de Outubro de 2019, 13h29 | Acessos: 137

Coordenador: Marcus Granato (MAST)

Resumo

O presente projeto contempla a pesquisa sobre as relações existentes entre o patrimônio cultural da ciência e tecnologia (PCC&T) e os museus universitários no Brasil. O objetivo principal é pesquisar o patrimônio cultural de C&T e suas relações com os museus universitários brasileiros, traçando um panorama da situação em que se encontram, em especial identificar seus problemas de infra-estrutura, e de como atuam na preservação desse tipo de patrimônio. Pretende-se, a partir do conhecimento produzido, apoiar esses espaços para que atuem na preservação do PCC&T de forma mais adequada. As atividades previstas para permitir alcançar os objetivos mencionados e respondes ás questões formuladas são as seguintes:

- Realizar um levantamento bibliográfico sobre o assunto, de forma a contabilizar a produção mais recente sobre o tema e incluí-la nas discussões teóricas do projeto;
- Identificar os museus universitários a partir dos resultados do projeto Valorização do Patrimônio Científico e Tecnológico Brasileiro e atualizar os dados relacionados;
- Verificar nas bases existentes na internet e em outras fontes se algum museu universitário que preserve o PCC&T está fora da lista produzida e atualizada, nesse caso registrar aqueles de interesse e complementar a lista;
- Pesquisar os museus universitários relacionados na lista final e analisar suas características e procedimentos utilizados;
- Classificar os museus universitários utilizando o sistema de classificação apresentado neste projeto, levando em consideração as características levantadas para cada espaço;
- Identificar os problemas de infra-estrutura principais existentes nos museus universitários brasileiros e propor ações que possam reduzir os riscos envolvidos;
- Identificar as necessidades de cada espaço não considerado “museu” pela aplicação do sistema de classificação para que se constitua de fato em um museu;
- Identificar as redes de museus universitários existentes nas IES federais do país e pesquisar aspectos relacionados à sua formação e atuação, de forma a produzir material que oriente e auxilie a criação dessas redes no país;
- Produzir materiais de divulgação e divulgar procedimentos de preservação adequados para o PCC&T entre os museus relacionados;
- Estimular que esses espaços se incluam no sistema de localização mundial de museus universitários na página institucional do UMAC ;
- Realizar uma série de iniciativas em prol da disseminação do conhecimento produzido: produzir contribuições para periódicos especializados e para eventos (congressos, seminários etc) na área; inserir os resultados de pesquisa nas aulas do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio, realizado em parceria pela UNIRIO e pelo MAST, assim como no curso de Pós-Graduação em Preservação de Acervos de C&T, realizado pelo MAST; além de produzir relatório final de pesquisa. A partir dos estudos aqui propostos pretende-se alcançar os objetivos apresentados no item 5 deste projeto, além de alcançar os seguintes resultados e metas:
- Produzir uma relação atualizada de museus universitários brasileiros que preservem o PCC&T;
- Produzir um estudo sobre as condições de formação dos museus relacionados, incluindo suas características e procedimentos de preservação utilizados;
- Produzir um estudo sobre a situação estrutural do museus relacionados, de acordo com o sistema de classificação empregado, identificando quais os desenvolvimentos necessários para aqueles que não se caracterizam como “museus” assim se tornem;
- Produzir um estudo sobre os problemas de infra-estrutura enfrentados por esses museus e quais constituem maior risco de dano ao patrimônio que preservam;
- Produzir conhecimento sobre as redes de museus universitários brasileiros existentes nas IESs federais, ressaltando suas características, aspectos de formação e práticas de preservação;
- Produzir materiais de divulgação com procedimentos de preservação adequados para o PCC&T;
- Produzir trabalhos sobre o tema para serem publicados em periódicos especializados, livros e anais de eventos;
- Produzir um relatório de pesquisa final sobre o tema.


Equipe

Marcus Granato (coordenador/MAST), Victor Emanuel Abalada (MAST), Luiza Maldonado (MAST); Emanuela Sousa Ribeiro e Bruno Melo de Araújo (UFPE); Verona Segantini (UFMG); Aline Rocha de Souza Ferreira de Castro (UFRJ); Luciana Menezes de Carvalho (UNIFAL) Cintia Maria Rodrigues do Nascimento (UFAL); Marcelo Cavalcanti da Silveira (UFRGS); Marta Lourenço (Museu Nacional de História Natural e da Ciência/Universidade de Lisboa).


Parcerias

Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Museu Nacional de História Natural e da Ciência/Universidade de Lisboa.


Financiamento

CNPq (bolsa de produtividade, edital universal)


Resultados

O presente levantamento nacional de museus universitários, que contabiliza 415 instituições recuperadas a partir de um universo de 201 universidades, foi realizado a partir de buscas pela internet, podendo, portanto, encontrar-se incompleto ou mesmo possivelmente englobar instituições encerradas ou que por algum outro motivo não se encontram mais sob tutela de universidades. No entanto, apresenta-se, simultaneamente, como fruto e retrato das informações sobre espaços de cunho museológico em universidades que podem ser rastreadas e ter suas informações recuperadas via internet. Sabe-se mesmo, inclusive nominalmente, da existência e atividade de alguns espaços aos quais não foi encontrada referência alguma nas buscas on-line e, portanto, não foram incluídos ou contabilizados na lista apresentada.

Por entender-se “museu universitário” como um museu que está inserido na estrutura de uma universidade, fez-se mister definir e delimitar os conceitos de “museu” e “universidade”. Ao se tomar “museu” de forma ampla, abrigando espaços como centros de ciência, jardins botânicos, planetários, herbários, etc, buscou-se seguir a definição cunhada pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), na sua 21ª Conferência Geral, em 2007, em Viena1 , e pela legislação brasileira, no Estatuto dos Museus2 . No entanto, como muitos espaços fogem a tal estruturação mais complexa, seguiu-se, por adição, um critério identitário, sendo incluídos também os espaços que assim se apresentam e/ou autodenominam; excluídos, a priori, os espaços virtuais, dada a preocupação da pesquisa com a materialidade destes locais e seus acervos. Da mesma forma, delimitou-se a categoria “universidade” em estrita aderência à legislação brasileira, que, no decreto 5773/2006, dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de ensino superior, categorizando-as em faculdades, centros universitários e universidades, sendo apenas estas últimas detentoras da obrigação de atuar sobre o tripé indissociável ensino-pesquisa-extensão. Ou seja, apenas a universidade teria a obrigação de realizar pesquisas e abrir-se ao público em geral, logo, seria o único tipo de instituição de ensino superior que, compulsoriamente, produziria objetos que podem ser encarados como patrimônio, e a única que teria a necessidade de comunicar o processo realizado para além da comunidade acadêmica, acolhendo e atendendo à sociedade em geral através de, por exemplo, espaços como museus – razão pela qual o levantamento restringe-se, assim, unicamente às universidades, mesmo que seja a notória a existência de museus em outros tipos de instituição de ensino superior.

A listagem de universidades brasileiras a partir da qual se baseou o levantamento foi obtida a partir da base de dados oficial dos cursos e instituições de educação superior organizada pelo governo federal, o Cadastro e-MEC3 .


Referências

BRASIL. Decreto nº 5.773 de 09 de maio de 2006. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e seqüenciais no sistema federal de ensino. Brasília, 09 mai. 2006.

BRASIL. Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências. Brasília, 14 jan. 2009.

ICOM/BR. Código de Ética do ICOM para Museus: versão Lusófona. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009.

___________________________________________

1 Um museu é uma organização sem fins lucrativos, instituição permanente, a serviço da sociedade e do seu desenvolvimento, aberta ao público, que adquire, conserva, pesquisa, comunica e exibe o patrimônio material e imaterial da humanidade e do seu ambiente para fins de educação, pesquisa e diversão (ICOM/BR, 2009, p.28).
2 Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento (BRASIL, 2009).
3 <http://emec.mec.gov.br/>.

Lista de museus universitários brasileiros (novembro/2019)

 

Voltar

registrado em:
Fim do conteúdo da página